Os maiores erros que freelancers cometem 1

Como em qualquer contrato de trabalho, no trabalho da modalidade freelancer, há uma série de práticas que são esperadas, da parte do contratado pelo contratante. Não são regras escritas, mas regras de bom-senso, por assim dizer.

Isso não significa que você, provavelmente, já não tenha cometido esses erros antes. Eu cometi alguns. Normal, você está começando a trabalhar, ainda não está entendendo direito como funciona seu trabalho.

O importante é: não cometer esses erros de novo.

Mas você sabe que erros são esses? Sabe como solucionar eles?

 

1.     Não organizar sua rotina de trabalho

 

Para freelancers que fazem home office, isso é fatal, porque eles não conseguem separar o trabalho domésticos, dos trabalhos pagos. Logo, esses profissionais encaram o “trabalho em casa” como um “estar em casa, trabalhando e cuidando da casa”, e não como um “estar trabalhando”.

Assim, a primeira solução, nesse caso, é estabelecer uma rotina de trabalho. Uma agenda. Determinar o horário de acordar, determinar que horas serão destinadas ao trabalho, que horas serão de trabalhos domésticos e que horas serão de outras coisas.

E não pense que freelancers com escritório estejam imunes: afinal, você precisa “ir pro escritório trabalhar”, mas ninguém vai estar lá “cobrando sua presença”.

Você não precisa trabalhar das 8 às 18, igual em uma empresa. Mas você precisa se cobrar um horário exclusivo para o job. Mesmo que seja na madrugada. O problema é você estar no meio do trabalho e de repente, precisar parar tudo pra fazer algum trabalho doméstico…

Trabalhar “de casa” não significa “estar disponível”. Considere, inclusive que você não está em home office, e sim em um escritório, fora de casa.

Isso nos leva ao segundo problema:

 

2.     Não ter um local de trabalho

 

Fazer freelas não significa fazer home office.

Isso pode parecer meio estranho para algumas pessoas que trabalham em empresas, mas a verdade é que, se você não consegue trabalhar na sua casa (muitas pessoas em casa, vizinhos difíceis, falta de infraestrutura), procure um espaço externo.

Uma sala, um espaço de coworking, um café que permita usar o espaço para trabalhar…

Artistas e ilustradores, às vezes, contam com ateliês. Isso é: um local que eles alugam ou compram, e lá vira o espaço de trabalho.

 

3.     Plágios

 

Plagiar não é fazer ghostwriting. Plagiar é você copiar um texto de outra pessoa e entregar como sendo seu (mesmo que seja job de ghostwriter). Ou copiar a arte de alguém (no caso de designers). Copiar a música de alguém (no caso de músicos).

Em resumo, plagiar é a mesma coisa que copiar. Esse é um erro que muitos freelancers sequer cogitam fazer (eu nunca cometi esse erro). Mesmo assim, alguns que pensam que são imunes a tudo fazem.

Além de ser um crime (Lei 9.610 sobre Direitos Autorais), queima seu currículo (empresas de um mesmo segmento, que empregam freelas, trocam informações sobre freelancers). Inclusive se for autoplágio (diferente de “produzir conteúdo parecido”).

 

Continue lendo mais erros que freelancers cometem, aqui.

Conteúdo relacionado:

O que faz um urbanista?

Uma das profissões do futuro será a de Arquiteto Urbanista, ou, resumidamente, Urbanista. Por quê? Porque as cidades precisam ser repensadas, de forma a atenderem