Os maiores erros que freelancers cometem 2

 

No artigo anterior, vimos 3 dos maiores erros que freelancers cometem. Dois deles são coisas mais ou menos simples de se resolver, e são naturais, porque o trabalho de freelancer não é propriamente algo que se aprende.

É você e você, então, quem determina sua forma, espaço e horário de trabalho, é você. Isso pode levar alguns freelancers a cometerem os erros de: 1. Não ter uma rotina de trabalho; 2. Não ter um espaço adequado para trabalhar.

Já o terceiro erro que falamos, esse é mais problemático: o plágio. Copiar um texto de alguém, e assinar como sendo seu, é punível pela Lei 9.610, de Direitos Autorais. Inclusive se você for o autor do texto copiado.

Você até pode produzir conteúdos parecidos. Porém precisam ser originais na sua forma.

E além desses erros, quais outros, freelancers cometem?

 

1.     Não revisar seu trabalho

 

Por mais que pareça algo só de freelas de redação, artistas e designers, músicos, fotógrafos, arquitetos, decoradores… Todos esses profissionais são passeis de cometerem erros pequenos que uma revisão poderia evitar.

Não revisar é um erro que diminuí a qualidade daquilo que você produz. Não revisar em artes pode ser esquecer detalhes. Em arquitetura, pode ser a falta informações técnicas. Em redação, claro, é gramática.

São coisas mínimas que até um estagiário poderia arrumar? Sim. Mas a questão é: seu empregador não quer estagiários para arrumar os seus erros. Ele quer receber o trabalho completo.

Trabalhos longos (como e-books), provavelmente terão um revisor. Isso não significa que você pode entregar qualquer coisa.

 

2.     Não ter um bom portfólio

 

Mesmo que você seja ghostwriter, ter um portfolio com um panorama geral do seu trabalho é essencial. Seu portfólio não será algo que você vai divulgar para jornalistas tendenciosos, então não tenha medo de divulgar seus ghostwritings.

Músicos, artistas, designers e estatísticos também precisam ter um portfólio. Não acredite que o mercado vai gostar do seu trabalho apenas pelo seu currículo.

Ter um portfolio pode ser: enviar links com o trabalho publicado, enviar os arquivos, enviar relatórios.

O mais importante é você mostra que você produz, que você não é um amador ou iniciante. Depoimentos de empregadores antigos, em plataformas de vagas, também podem contar como portfolio. Mas não se limite a elas.

 

3.     Não se atualizar

 

Freelancers não podem fazer o trabalho seguinte da mesma forma que o anterior. E não se trata só de conteúdo – é também na forma como ele faz esse conteúdo.

Em outras palavras, eles precisam se atualizar nos assuntos e tendências de suas áreas de trabalho. Redatores do nicho tecnologia precisam saber das novidades da Apple. Músicos de jingles precisam saber o que está bombando no Spotify.

 

4.     Não descansar

 

Abraçar milhares de projetos ao mesmo tempo pode até ser rentável. Mas não é saudável. Saiba recusar projetos. Você não pode ficar disponível 24 horas pro trabalho. Então, não aceite trabalhos que você não vai conseguir cumprir.

Você precisa saber quando encerrar o expediente, para descansar.

Conteúdo relacionado:

O que faz um urbanista?

Uma das profissões do futuro será a de Arquiteto Urbanista, ou, resumidamente, Urbanista. Por quê? Porque as cidades precisam ser repensadas, de forma a atenderem