O que são Figuras de linguagem? Como usar (ou não usar) elas? – 3

Em nossos artigos anteriores, que você pode ler aqui, e aqui, vimos o que são Figuras de Linguagem, e como elas podem transformar um texto técnico e objetivo, em algo original, dinâmico e capaz até de despertar emoções.

Isso porque, Figuras de Linguagem são recursos estilísticos, que mudam o sentido de um texto. Elas podem ser tanto de palavras, quanto de sintaxe.

No caso de figuras de palavras, o sentido da frase é alterado pelo significado e relação de sentido entre as palavras. No caso das figuras de sintaxe, é a construção da frase que muda o sentido dela.

Assim, depois de relembrar o conceito, vamos ver mais algumas Figuras de Linguagem. Nos três artigos, colocamos apenas algumas figuras, as mais comuns em textos de todos os gêneros. Há, no entanto, em torno de 50 (algumas são variações de outras, mas há gramáticos que as entendem como uma figura própria).

Então, vejamos:

 

Metonímia

A metonímia é a famosa “parte pelo todo”, ou seja, ao invés de falar sobre tudo que compõe o objeto da fala, escolhe-se uma particularidade dele (um componente, um traço de personalidade, um gentílico, etc.), para representa-lo.

Exemplo:

  • Li Machado de Assis para a faculdade – ao invés de falar “os livros de Machado de Assis”, se reduz a frase apenas para o nome do autor;
  • Brasília mandou uma representação diplomática à China – aqui, “Brasília” é uma metonímia para o Governo Federal Brasileiro, devido ao caráter político da cidade (ser a Capital Federal do Brasil).

 

Oximoro

Oximoros são uma forma de paradoxos, ou seja, são uma figura de linguagem que consiste em associar ideias opostas entre si, mas, de forma que uma complete a outra. Assim, cria-se um sentido que é a união das duas palavras:

Exemplo:

  • O ladrão honesto foi preso – a palavra “Ladrão” seria oposta à palavra “Honesto”;
  • Hoje estou me sentindo um morto vivo;
  • Meu carro corre devagar em dias de chuva.

 

Personificação e zoomorfismo

As duas Figuras de Linguagem são complementares. Uma personificação é o ato de atribuir características e atos humanos a coisas inumanas (animais, objetos, fenômenos da natureza, etc.).

O zoomorfismo, por sua vez, é a descrição de atos e aparências, mas com substantivos próprios a animais.

Exemplo:

  • A profundidade dessa pesquisa é gritante – “gritante” vem de “grito”, uma ação humana;
  • Preciso de óleo, porque a porta de casa está chorando;
  • Esse é um café honesto;
  • Meu chefe só sabe me dar coices;
  • Hoje o vento está uivando.

 

Pleonasmo

Pleonasmos são figuras de linguagem que, na maioria das vezes, enfraquecem o texto. Isso acontece porque um pleonasmo o uso de dois ou mais termos que são redundantes. Por vezes, porém, o pleonasmo serve para enfatizar uma ideia.

Exemplo:

  • Minha esposa adoeceu de uma virose – “Virose” é o nome genérico para doenças. Logo, sofrer de virose é, necessariamente, adoecer;
  • A fala do diretor foi só verbal;
  • Vi o fato com meus olhos;
  • Desci ladeira abaixo apressado;
  • Crianças têm comportamentos infantilizados.

Conteúdo relacionado: