O que são Figuras de linguagem? Como usar (ou não usar) elas? – 2

 

Figuras de Linguagem são recursos de estilo que servem para escrever textos com mais originalidade, dinamismo e estilo. Uma Figura de Linguagem pode dar, ao texto, emoção e personalidade.

Vimos algumas aqui. Confira mais algumas:

 

Eufemismo

Eufemismos são formas de falar sobre algo, porém, sem usar a palavra em si – e sim, um “atenuante” ou “expressão mais suave”, por assim dizer. São muito comuns, quando vamos nos referir a situações envolvendo gravidade ou emoções fortes.

Exemplo:

  • Meu avô teve paz, depois de sofrer anos com Alzheimer – “Teve paz” é um eufemismo para falar da morte. Ele suaviza a situação, e até procura dar um significado “positivo”.
  • Ele foi convidado a se retirar do salão – para suavizar o ato de expulsar alguém, de algum lugar.
  • Valorizamos o empenho de nossos colaboradores – ao invés de falar “funcionários”. um eufemismo muito comum em empresas de varejo.

 

 Gradação

Figura muito usada quando se quer dar a ideia de alto que melhorou (ou piorou) ao longo de um período.

Exemplo:

  • No início você era um aprendiz; depois de alguns meses, você se tornou um mestre.
  • Quando Luís começou, ele era ótimo Depois de alguns meses, ele foi decaindo. Hoje ele é um funcionário medíocre.

 

Hipérbole

Hipérboles são figuras de linguagem muito utilizadas para causar emoções: ela consiste em exagerar o uso de alguma palavra.

Exemplo:

  • Você já recebeu milhões de avisos.
  • Meu filho morre de vontade de conhecer a Disney.
  • Nosso novo sorvete causa uma explosão de sensações na sua boca!

 

Ironia

A ironia é a figura de linguagem que consiste em expressar uma ideia, porém, por uma afirmação contrária a ela. É muito usada quando se quer reforçar (ou mesmo atacar) certo valor implícito, ou referencial de um texto.

Exemplo:

  • Ele é um funcionário supercompetente… Só deixou de entregar os relatórios mais importantes da semana.
  • Meu computador quebrou, e eu perdi todas as planilhas. Estou muito feliz e tranquilo.
  • Eu quase não bebo. Esvazio uma garrafa de vinho sozinho, por acaso.

Exemplos escritos, eventualmente, dependem muito mais de um contexto, para que o leitor capte e compreenda melhor qual é o elemento que está sendo contradito.

No caso de exposições orais, a ironia fica mais fácil de ser percebida, devido aos elementos extratextuais, dentre os quais, o tom de voz do falante, e  gestos e expressões faciais.

 

Metáfora

A metáfora é uma comparação que não usa termos comparativos. Muito usada na poesia, mas também na linguagem comum, pois uma metáfora carrega, em si, uma carga de valores, emoções e até aspectos visuais.

Exemplo:

  • Ele é um cabide – para falar de alguém muito magro. Aqui tem a comparação entre uma forma física e o objeto.
  • Amor é fogo que se arde sem se ver – metáfora clássica, do soneto de Camões.
  • Vinhos argentinos são uma joia – aqui a comparação considera os valores estéticos e comerciais de um joia, para falar sobre um produto.

 

Leia a última parte sobre Figuras de Linguagem, aqui.

Conteúdo relacionado: