4 mitos em torno da faculdade de Educação Física

 

Uma das matérias mais populares entre alunos de qualquer rede de ensino é a Educação Física. Isso porque ela envolve esportes e brincadeiras, supostamente, não necessitando de cadernos e livros.

E, pensar isso é um dos mitos da Educação Física. A maioria dos professores e profissionais da matéria, evidentemente, preferem aulas práticas, pois é muito mais interessante jogar um esporte do que ler sobre ele.

Além disso, o ensino de práticas aeróbicas, exercícios físicos e demais esportes vem de um contexto social no qual essas atividades se relacionavam ao militarismo. Principalmente nos primeiros anos de Brasil independente, quando apenas a elite ia para os colégios.

Naqueles tempos, exercícios físicos tinham o intuito de preparar pessoas para um eventual contexto de guerra.

Essa mentalidade continuou no século 20, durante muitas décadas. Hoje, a Educação Física é bem mais do que aprender repetições e práticas de guerra. Mesmo assim, há alguns mitos que cercam a área.

Saiba quais são eles:

 

1.      “Quatro anos jogando futebol”

Um comentário maldoso, que é feito sobre a faculdade de Educação Física, é sobre uma suposta falta de currículo consistente. Ou seja, o aluno da matéria passaria seus anos na universidade apenas fazendo esportes.

Um enorme engano. No curso de Educação Física, há matérias tão diversas quanto teóricas.

Por exemplo, Fisiologia, uma vez que para atuar nessa área, saber sobre o corpo humano é vital. Outro exemplo é Nutrição, já que a alimentação exerce papel fundamental na prática de exercícios físicos.

Além, claro, de matérias de Pedagogia, já que o mercado de trabalho para professores de Educação Física é bastante amplo.

 

2.      “Pra fazer Educação Física, você precisa ter um corpo perfeito”

O problema da afirmação começa com a noção de “corpo perfeito”; essa noção se refere a um padrão de beleza, da indústria da moda – um padrão impossível de atingir.

Há pessoas que tem uma saúde e preparo impecáveis, sem ter um padrão de corpo esguio, e há pessoas com baixíssimo índice de gordura corporal, sem qualquer disposição física.

O aluno de Educação Física precisa ser alguém disposto a fazer exercícios. Se ele vai ficar mais magro ou não, mais musculoso ou não, isso é outro caso.

 

3.      “Educação Física não precisa escrever”

Esse é um dos mitos mais conhecidos, principalmente, quando pensamos na Educação Física escolar. Há o pensamento, conservador, de que não há necessidade de estudos teóricos, ou seja, estudos por meio de textos.

Porém, eu já conheci professores de Educação Física que dão aulas teóricas – até mais do que aulas práticas.

São aulas com textos sobre a História do esporte, regras, ética esportiva… Mesmo porque, para que aconteça a parte prática, é preciso ter uma teoria que embase as atividades.

 

4.      “Educação Física forma atletas”

Pessoas formadas em Educação Física não são, necessariamente, atletas. Há atletas que nem mesmo se graduam.

O aluno de Educação Física pode virar um atleta ou treinador, caso ele opte por essa carreira. Porém, isso não é uma regra.

Conteúdo relacionado: