4 atitudes que comprometem o relacionamento entre funcionários de uma empresa

 

Conviver profissionalmente com pessoas diferentes de nós não é fácil. Não adianta dizermos que é, pois não é.

Você até pode ter facilidade em lidar com pessoas diferentes de você, ainda mais em um ambiente estressante, como um escritório. Agora, dizer que é fácil, isso não é.

E não tem problema em haver dificuldades. É pelo enfrentamento das dificuldades que crescemos profissional e pessoalmente. Logo, se você consegue lidar bem com pessoas dos mais variados tipos, nas mais diversas situações, considere-se um bom funcionário.

Já, se você não conseguir, saiba o que precisa ser modificado e modifique. Procure pelo RH, por auxílio psicológico trabalhista, entre outros, pois, no ambiente de trabalho, “é impossível ser feliz sozinho”.

Pensando nisso, o que pode ser feito para melhorar os relacionamentos no trabalho? E mais do que isso, o que não pode ser feito para melhorar os relacionamentos no trabalho? Confira.

 

1.      Não seja um “Leva e traz”

Funcionários “fofoqueiros” que vivem transitando entre setores são pessoas tóxicas. Ponto.

Por que ser tão categórico? Porque essa atitude, de dizer o que acontece em um e outro setor, o ato de dizer aos chefes o que os subordinados falam e pensam (e vice-e-versa) é algo nocivo.

O chamado “leva e traz”, isso é, a pessoa que divulga informações que, provavelmente, não deveriam ser divulgadas, não contribuí para a harmonia do escritório.

Algumas opiniões e comentários são de cunho pessoal, e, se não deveriam ser ditas, se foram, provavelmente foi devido ao “calor do momento”. Se você ouviu, ignore.

 

2.      Não fale coisas da sua vida, se você não quer que os outros também falem

O escritor inglês Somerset Maugham teria dito “a vida privada é aquilo que, se fosse pública, chocaria a todos”. Porque a ideia é essa.

Se você contar algo da sua vida íntima para alguém, mesmo que seja um colega de trabalho de extrema confiança, não se surpreenda se todos do escritório vierem a saber, alguma hora.

Seja por acaso, seja por descuido, se você falou com alguém, logo todos vão saber. Se você não estiver pronto para lidar com isso, simplesmente não fale.

 

3.      Evite temas sensíveis

Temas sensíveis são sexualidade, religião, política, hábitos pessoais, doenças – e em alguns casos, futebol, também (pois é!).

Não são todas as pessoas que estão prontas para debater se casais homoafetivos devem adotar crianças ou se Jesus era ou não o filho de Deus, por exemplo.

Aliás, só trate desses assuntos, se eles forem da natureza do seu trabalho.

Assuntos sensíveis desgastam as relações entre funcionários, despendem uma energia enorme dos envolvidos, e (muitas vezes) não levam a nada.

 

4.      Não desrespeite hierarquias

A não ser que seu chefe dê uma ordem muito absurda (que ele peça para você fazer algo ilegal), não desrespeite a hierarquia.

Se você não concorda com o que seu chefe pediu, é um direito seu. Porém, não discorde dele publicamente; acate a informação e, posteriormente, na sua sala, justifique-se.

Conteúdo relacionado: