Você conhece a Técnica Feynman? Descubra esse método inovador na hora de estudar

Você é o tipo de pessoa que adora aprender coisas novas? É uma pessoa que acha muito importante estar sempre se aprimorando e se atualizando em sua área profissional? E você tem facilidade em aprender algum conceito? Acha cansativo ter de ficar decorando teorias complexas?

Se você respondeu “Sim” para alguma das perguntas acima (ou para todas), você precisa conhecer um método que vai mudar sua forma de estudos.

Trata-se da Técnica Feynman, desenvolvida pelo Físico Richard Feynman, um dos autores que revolucionou essa área do conhecimento, no século XX.

Feynman estudou por toda a sua vida a mecânica quântica, uma área da fica nuclear extremamente complexa. Para tanto, ele desenvolveu seu famoso método, que consiste de quatro passos:

  1. Aprenda um conceito;
  2. Ensine para uma criança;
  3. Identifique suas falhas na compreensão;
  4. Revise e simplifique.

Parece algo simples, não é verdade? E de fato, a técnica Feynman é simples. E extremamente funcional. Vejamos.

1.  Aprenda um conceito

Aprender um conceito é uma parte simples. Digamos que você está estudando Literatura Brasileira Contemporânea (aqui). O primeiro passo é estudar conceitos-chave, movimentos estéticos e literários, a semana de 22, influências europeias, etc.

Ou seja, o primeiro passo é você estudar o máximo que for possível, até que você aprenda aquele conceito da melhor forma possível. Vá anotando o que você aprendeu. Os conceitos ligados ao conceito principal também são importantes, então anote eles também. Liste leituras complementares, perguntas-chave, ideias que surgiram na primeira leitura…

2.  Ensine para uma criança

Em seguida, ensine tudo o que você prendeu para uma criança. Se você não tem uma criança em casa, imagine que você vai ensinar para uma criança. Como? Use sua criatividade e procure simplificar o conceito.

Simplificar não é facilitar, e sim, explicar de forma clara e simples. Isso é: sem terminologias complexas, sem jargões específicos e sem se estender demais.

Sem “Terminologias” não significa sem o conceito daquilo que você está estudando, mas sim, com um título mais simples.

No caso de nosso exemplo, ao invés de falar em “Influências do nouvelle roman no romance regionalista brasileiro”, use algo simples como “influências da literatura francesa no Brasil”.

3.  Identifique suas falhas na compreensão

Identificar falhas na sua compreensão é identificar coisas que você não entendeu direito ou que você percebeu que não sabe explicar direito. Perguntas, conceitos, explicações que você não consegue fazer sem dar muitas voltas…

Anote essas falhas da sua compreensão, essas perguntas, e essas dificuldades, e então reformule esse conteúdo.

4.  Revise e simplifique

Por fim, revise tudo o que você fez até então. Veja as falhas na sua compreensão e os problemas que você obteve na hora de explicar para uma criança, e pense novas formas de explicar e exemplificar esse conteúdo.

Não apenas isso, simplifique essas explicações e estudos que você fez. Isso é, fale sobre elas, de uma forma mais simples, também.

Então, leia suas explicações em voz alta, e analise se esse nova versão tem coerência, se ela faz sentido.

A Técnica Feynman é usadas há mais de 50 anos, por estudantes do mundo todo. O que achou dela?

Conteúdo relacionado: