3 motivos que fazem a judicialização a melhor saída

 

Mediar conflitos de interesses entre pessoas ou instituições nem sempre é uma tarefa fácil. Isso porque, eventualmente, os interesses que estão em jogo envolvem grandes somas de dinheiro, ou vantagens financeiras.

Dessa forma, resolver um problema contratual ou constitucional (ou de ordem particular, também) pode ser um verdadeiro tormento.

Uma das partes não responde a outra de forma equilibrada; um marido faz exigências absurdas à mulher; um irmão faz ameaças agressivas para o outro, pela herança…

Poucas pessoas conseguem resolver a contrariedades de forma fria, e objetiva.

Por isso, há casos onde, por mais estressante e caro que seja, não há o que fazer: é preciso abrir um processo legal.

E quem já se envolveu em uma ação judicial sabe: elas são estressantes.

Porém, na enorme maioria das vezes, envolver advogados e juízes pode ser a melhor solução. Por quê? Entenda:

 

1.      Alguém para lidar com a burocracia

Um advogado é alguém que estuda leis com profundidade. E as leis regem nossa sociedade, principalmente, através de mecanismo legais e procedimentos. Esse conjunto de mecanismos e procedimentos é a burocracia.

E a burocracia nem sempre facilita nossa vida.

Na verdade, muitas pessoas sentem medo, quando ouvem palavras como “processo burocrático” ou “protocolo de requerimento”, por exemplo, justamente por esses mecanismos serem, sempre, muito cheios de detalhes e questões específicas.

Dessa maneira, contratar alguém para auxiliar você com eles, em muitos casos, é muito mais fácil (e rápido). Em outras palavras, há casos em que é muito mais simples se você simplesmente apelar para a judicialização.

Ou seja, contratar um advogado, para cuidar disso que se chama “parte legal”.

Assim, você faz o que precisa fazer, mas sem cometer nenhuma improbidade.

 

2.      Alguém para te dar respaldo legal

Imagina que você compra uma peça de roupa pela internet e ela vem rasgada. Você então tenta devolver a peça, mas a loja não aceita. O que se pode fazer, nesses casos? Ir até o Procon, órgão do governo responsável pelo Direito do Consumidor.

Ou seja, quando você contrata um advogado, esse profissional fará atos para garantir os seus direitos, dentro da legislação vigente. Ou seja, auxilia você a agir sob o amparo legal da constituição.

Ter amparo de um consultor jurídico dá segurança aos seus atos e transações. Te dá, de alguma forma, liberdade para você agir, ainda que seja liberdade dentro de certos limites.

Conhecer seus direitos, bem como a forma de garantir eles, é praticar cidadania, pois dessa forma, você não está fazendo nada que é ilegal.

 

3.      Transações mais pacíficas

Resolver questões informalmente pode ser, por vezes, uma experiência que resulta em violência física ou psicológica.

Um dos lados sente-se acuado, então perde a razão, age por impulsos.

A mediação de advogados, nesse sentido, é vital para garantir que uma ação penal ocorra dentro dos limites da moral e decência.

Advogados têm o dever de olhar para um caso com frieza técnica, apelando, apenas para recursos legais previstos na constituição vigente.

Conteúdo relacionado:

10 direitos trabalhistas essenciais

  Todos os trabalhadores contratados têm alguns direitos trabalhistas que são (ou deveriam ser) inalienáveis. Porém, saibamos que nem sempre esses direitos são cumpridos. Além

O que é a Psicologia Nutricional?

  Quem busca um tratamento alimentar especializado com um nutricionista pode se surpreender, mas às vezes, uma dieta passa necessariamente pelo acompanhamento de um psicólogo.