O que é Identidade Cultural? Qual a importância dela no contexto escolar?

 

Em Educação, quando falamos em “Conhecer os alunos”, saber o nome é o primeiro passo. Mas é pouco diante de uma questão maior, que é saber quem eles são de fato.

Claro que falarmos em “Saber quem os alunos são de fato” é algo complexo, afinal, o processo de autoconhecimento, por vezes, pode ser algo que leva uma vida inteira, para acontecer. Então, “conhecer os alunos”, na verdade significa conhecer alguma das muitas identidades e potencialidades que eles têm.

Mesmo assim, é vital que busquemos saber sobre os alunos; que busquemos saber sobre suas identidades culturais. Porém, o que é isso? O que significa falarmos em “Identidade Cultural”? será que temos só uma, ou várias?

E por fim: qual a importância desse conceito, na escola?

 

Identidade e cultura: dois tópicos que, juntos, formam um terceiro

O conceito de identidade e algo mais ou menos claro para todos. Trata-se de saber quem você é. O que você pensa, o que você acredita, o que gosta e não gosta.

Tudo isso compõe a identificação de uma pessoa. Ela se identifica com certa prática, ideia ou grupo social, e adota certas práticas e condutas nesse sentido.

Já a parte de cultura, isso também não é tão obscuro. Cultura é tudo o que compõe a sociedade. Há os sociólogos e antropólogos que entram em méritos como “alta e baixa cultura”, “cultura dominante e cultura dominada”, “tradição e vanguarda culturais”, entre outros.

Tais discussões, entretanto não nos interessam aqui. O mais importante é isso: “cultura” é o conjunto de práticas e referências de práticas sociais.

Assim, juntando os dois conceitos temos Identidade Cultural: um conjunto de práticas, vivências, fundamentos e ideologias que formam a identidade (social ou coletiva) de indivíduos.

 

A importância de se estudar Identidade Cultural na escola

A partir dessas ideias, cabe nos perguntarmos: qual é a importância de estudar Identidade Cultural na escola?

O primeiro motivo nessa questão é, justamente, descobrir sobre a identidade dos alunos. Isso é, aprender como eles pensam, seus valores, suas relações com o mundo. Entender os elementos que formam a personalidade e identidade dos alunos ajudará o professor, na forma como ele vai desenvolver os conteúdos da sala.

O segundo motivo é numa esfera mais social. Compreender sobre a formação cultural e indenitária dos alunos vai ajudar a entender as questões sociais, que atravessam a comunidade em questão.

Assim, as aulas se focam em atender a esses questionamentos, para que dessa forma o ensino não aconteça de forma descontextualizada.

O terceiro motivo é no que se refere ao direito social, dos alunos serem quem são, isso é, eles poderem assumir suas identidades sociais, religiosas, políticas e de tantas outras ordens, mas sem julgamentos.

Trabalhar com as diferenças, percebendo elas como partes importantes da formação histórica e cultural de uma sociedade, é um dos deveres da escola. As noções de Democracia e Direitos Humanos, na escola, incluem tolerância e respeito às diversas Identidades Culturais, dos estudantes.

Conteúdo relacionado: