Como trabalhar com pessoas com quem você “não se dá”?

 

Uma das soft skills mais importantes a serem adquiridas, pensando em mercado de trabalho, é a flexibilidade, isso é, sua capacidade de trabalhar com pessoas de todos os perfis.

O que nem sempre é fácil. Muitas vezes, somos colocados em uma equipe com membros a quem não temos afinidades ou ainda, simplesmente desgostamos.

O que faz alguém “se dar bem” com outra pessoa é uma fórmula complexa, e longe da obviedade. Concretamente, entretanto, temos o fato: precisamos trabalhar com “o chato”, “a metida”, “o arrogante” etc.

Como fazer isso?

 

1.      Saiba quais são os objetivos do trabalho

Você precisa trabalhar em equipe? Então descubra qual é o objetivo da sua equipe. Qual é a meta a ser atingida, o projeto a ser concluído?

Sabendo disso, o trabalho fica mais objetivo. Talvez não fique “fácil”, mas sendo um horizonte em comum, esse ficará, ao menos, mais focado.

Pois, lembre, você não está com essas pessoas para conviver, mas para trabalhar.

 

2.      Descubra as similaridades

Todos têm coisas em comum. Sejam alimentos favoritos, memórias de infância, músicas de preferência, valores. Identificar esses elementos em comum vai ajudar você a fazer o trabalho.

Não basta dizer que, em comum, vocês têm o emprego. Há mais coisas. Então, converse com todos da equipe, analise os pontos, faça brechas, e troquem palavras amenas…

Dessa forma, você verá seus colegas de equipe, não tanto pelas imagens fixas do trabalho, nem tanto pela imagem associada ao cargo, mas como alguém que “tem uma vida fora do trabalho”.

Isso pode parecer tolice, porém, a verdade é que ambientes de trabalho solapam nossa personalidade. Conhecer as pessoas para além do trabalho fortalece as ligações.

 

3.      Apele para o emocional

Apelar para o aspecto emocional de uma situação não é (não deveria) ser apelativo, mas ao contrário, identificar aqueles elementos que mexem com as emoções dos empregados, e usar eles para motivá-los no trabalho conjunto.

Por exemplo, em uma escola. Um aspecto emocional é a alegria de ver que os alunos estão conseguindo aprender conteúdos e evoluir enquanto pessoas. Esse pode ser o mote para um trabalho coletivo, mesmo que nem todos os professores “se deem”.

O mesmo acontece em empresas. Em todas elas. Há aspectos emocionais que levam o funcionário a estar ali, sejam eles aspectos positivos ou não. Esses aspectos podem ser usados como motivadores.

 

4.      Atribua tarefas que envolvam trabalhos individuais

Uma forma de lidar com pessoas com quem não temos afinidade, no trabalho, é por meio de tarefas individuais. Essas existem, em todos os ambientes de trabalho.

Mesmo em projetos coletivos, há tarefas que devem ser feitas por apenas uma pessoa. Designe essas pessoas (ou a si mesmo) para cumprir elas.

 

5.      Elogie

Reconheça o trabalho individual, principalmente, daqueles colegas com quem você tem desafetos. Procure sempre algum mérito no trabalho dos outros, e reforce isso, publicamente.

Dessa maneira, você passa uma imagem de polidez e profissionalismo, além de criar e fortalecer vínculos com os demais.

 

 

Veja Também:

Veja o que é sucesso na Internet:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.