O que um enfermeiro faz?

Embora seja uma profissão essencial para todos os hospitais, unidades de saúde e empresas, a enfermagem profissional ainda é uma carreira cercada de mitos e preconceitos.

O principal deles é o de que, quem faz enfermagem é um auxiliar de médico. Não é. São áreas diferentes, dentro do campo maior (Saúde). O enfermeiro faz um trabalho de enfermagem.

O que parece óbvio, mas na verdade, não é.

Pois surge então a pergunta: o que é o trabalho de enfermagem? É o trabalho voltado para atender e cuidar dos enfermos – isso é, dos pacientes.

Há a enfermagem básica, com enfermarias específicas (neonatal, psiquiátrica, oncológica, geriátrica, educação sexual, traumas, ginecologia/obstetrícia), além das enfermarias de empresas e escolas, e do crescente serviço de homecare (cuidadores de idosos, de pacientes portadores de deficiência).

Além disso, o enfermeiro pode se especializar em assistência operatória, instrumentação cirúrgica ou até auditoria em enfermagem.

 

O que o enfermeiro faz, então?

A partir desse ponto – onde o enfermeiro trabalha – voltamos à pergunta inicial: o que o enfermeiro faz? O que ele estuda?

Podemos pensar na profissão, a partir da história de Ana Nery, “criadora” da enfermagem no Brasil, que foi prestar assistência aos médicos do front, na Guerra do Paraguai.

Seu trabalho era, incialmente, pretando Primeiros Socorros.

Posteriormente, Ana foi aprimorando técnicas de cuidado e atendimento, troca de curativos, avaliações de estado físico, procedimentos emergenciais, aplicação de remédios… Ainda que fosse rudimentar, foi inovador na época.

É isso que um enfermeiro faz. Ele cuida do paciente. Ele pode vir a administrar remédios e vacinas,  monitorar o estado de saúde dos enfermos, realizar procedimentos de urgência, operar equipamentos de radioterapia, remover pacientes; conter pacientes, pode, inclusive, se tornar um socorrista.

E faz procedimentos mais básicos, como suturas e avaliações iniciais de enfermos, motivo pelo qual há uma equipe de enfermagem em escolas e empresas.

 

Enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem: qual é a diferença?

A principal diferença entre um enfermeiro de um auxiliar de enfermagem, e um técnico de enfermagem, é o nível de especialização. Para você se tornar enfermeiro, você precisa cursar a Faculdade de Enfermagem.

Ou seja, “Enfermeiro” é uma profissão especializada. Vale destacar que existe até um Conselho Regional de Enfermagem (COREN); apenas profissionais com registro reconhecido pelo órgão podem trabalhar como Enfermeiros.

Já o técnico e o auxiliar de enfermagem são profissionais, que estudam em cursos de duração e especialização variados. As atribuições específicas desses profissionais (e os salários), eventualmente, são menores.

Tarefas, vale ressaltar, vitais para o funcionamento de uma ala hospitalar. Porém, mais “mecânicas”.

 

O mercado do homecare

Nos últimos, houve uma crescente demanda pelo profissional especializado em homecare. É um campo onde se atua tanto com idosos sofrendo de Parkinson, Alzheimer e Demência, quanto com pessoas portadoras de necessidades especiais.

O enfermeiro de homecare precisa saber lidar com esse público, e ter alguma formação como socorrista emergencial.

O trabalho de homecare envolve da aplicação de remédios e ataduras, à higiene e socialização do paciente, mas fora do hospital.

Conteúdo relacionado: