Como se tornar quadrinista profissional?

Toda criança, em algum momento de sua vida, se torna fascinada por historias em quadrinhos – as HQs. Seja Turma da Mônica, Disney ou mangás japoneses, o fato é que esse gênero faz a cabeça das crianças.

Aí viramos adultos e, alguns deixam de HQs, ou de ler com frequência. Outros, por sua vez, continuam fascinados e apaixonados, e buscam isso para sua vida profissional.

Se esse é o seu caso, se anime: a indústria de HQs é enorme! porém, como começar nela? Veja algumas dicas:

 

1.     Estude a linguagem dos HQs

Desenhar uma historia em quadrinhos não é simplesmente fazer figuras e balões. Tem pessoas que fazem isso, e até conseguem manter as contas, mais ou menos.

E tem artistas como Neil Gaiman.

A diferença dos primeiros para o segundo é Gaiman estudou – e muito – sobre comunicação visual, linguagem, artes plásticas e tantos outros temas que perpassam uma narrativa visual.

Logo, para ser um quadrinista, não basta saber desenhar e ter boas histórias. É preciso entender como criar elas.

 

2.     Não pense que sua vida será só ler HQs

Ao contrário, a vida de uma quadrinista será, muitas vezes, produzir material, correr atrás de prazos, editais e oportunidades, buscar formas de divulgar seu trabalho…

O começo será, inevitavelmente, difícil. Nenhuma profissão é fácil, antes que você tenha um currículo consistente. E isso você consegue se aprimorando e produzindo.

Para tanto, estude novas técnicas e linguagens; saia do óbvio em suas criações; explore novas perspectivas, na hora de abordar certo tema.

Quando Bill Waterson começou com Calvin & Haroldo, poucos quadrinhos conseguiam unir minimalismo gráfico à textos tão significativos.

Já o quadrinista Marcelo D’Salete, do livro Angola Janga, por exemplo, criou uma obra que une a estética de Super-Heróis a novas perspectivas sobre a Historia do Brasil.

 

3.     Participe de eventos

Esteja em eventos de HQs com seu trabalho. A internet ajuda, é claro, mas o contato direto com o público ainda é uma das melhores formas de vender suas criações.

Mesmo que você não esteja fazendo uma série, isso é, criando uma personagem.

Fazer as pessoas conhecerem seu traço é fundamental. Produzir quadrinhos não significa, apenas, criar revistas, ou publicar constantemente. Às vezes, seus ganhos mais significativos em um período da vida serão em cima de charges.

 

4.     Não recuse trabalhos, no início da carreira

Muitos quadrinistas começaram produzindo trabalhos que não eram o que eles queriam, idealmente. E está tudo certo: seu trabalho está sendo divulgado, e isso é o mais importante.

A quadrinista Cecilia Ramos, da página Cartumante produz muitas de suas obras, a partir de encomendas particulares – e isso fez com que ela ganhasse fama no Instagram.

Logo, hierarquize trabalhos. Para ter reconhecimento, é preciso ter produção.

 

5.     Não espere por inspiração

Desenhe e divulgue. Isso é o principal. Se você não está inspirado, faça a falta de inspiração ser o tema.

O importante é você produzir novas charges ou tiras. Se você for esperar uma ideia surgir, nenhum surgirá, na verdade.

 

Conteúdo relacionado: