Como criar projetos sociais e ONGS?

Diante de todos os inúmeros problemas que acontecem no mundo, muitas pessoas procuram criar projetos sociais ou organizações e fundações, visando atender a uma causa. Tal atitude é louvável, certamente, mas algumas vezes, surgem alguns obstáculos, e os bem-intencionados se desanimam.
A verdade é que fazer o bem não é difícil, se você decide agir junto a uma organização já consolidada. Os problemas aparecem quando se quer começar algo do zero.
O que é natural. Organizações Não Governamentais fraudulentas causam revolta porque, além da corrupção financeira, há uma corrupção moral.
Aqueles que merecem ajuda não são ajudados, e aqueles que queriam ajudar ficam traumatizados, parando de realizar doações e demais medidas necessárias.
Logo, os entraves burocráticos afastam os aventureiros e os golpistas. Por vezes, é mais fácil adotar uma medida já consolidada, e esse é o grande fato.
Mas, se você realmente acredita no seu ideal, criar uma ONG é possível.
Assim, como criar um projeto social? Como batalhar por uma causa? Quais são os passos para as suas boas-intenções não serem frustradas?

1. Descubra sua causa, e estude ela a fundo

Descobrir uma causa é fácil. Basta olhar pela janela. Da poluição aos moradores de rua, passando pela depredação de espaços públicos, violência verbal e doenças de cura difícil, nosso mundo tem muitos problemas.
ONGS servem para buscar a solução para eles. Buscar a solução total ou paliativa, independentemente ou em pareceria com outras instituições, mas de qualquer forma, a essência de uma ONG e de um projeto social é essa.
Assim, antes de você descobrir o que te motiva, pesquise o assunto com profundidade, pesquise iniciativas anteriores, busque soluções palpáveis, busque projetos semelhantes em outros países…
Enfim, se torne um especialista no assunto.

2. Crie um plano de ação

Depois que você se tornou um especialista na sua causa, comece a pensar no seu plano de ação. Ou seja, o que sua ONG fará, quando, como…
Seu plano de ação precisa estar embasado em estudos, em perícias e normas técnicas, em questões legais… Tudo isso dará credibilidade a sua ONG. Os custos, origem dos financiamentos e locais de execução também precisam estar elencados.

3. Registre e regularize sua instituição

De longe, uma das partes mais complexas, pois ela envolve uma série de documentos, e registros. Dependendo do tipo de ONG, você precisará ter um CNPJ, endereço da sede, estatuto interno, nomes e registros civis de todos os participantes, inscrições na Receita Federal, e nos ministérios que vão envolver o trabalho dessa.
Não hesite em contratar um assessor jurídico especializado em terceiro setor, para você conseguir realizar tudo o que for necessário. Alguns casos, você precisará comprovar que tem membros técnicos na equipe.

4. Busque fundos

Depois de passar por toda a burocracia, buscar fundos pode ser outra parte complicada. Aqui, estar amparado por um escritório de Direito Tributário é indispensável, uma vez que doações de grande valor vão envolver uma série de trâmites legais.
Resolvido isso, sua ONG estará pronta para atuar.

Conteúdo relacionado:

4 dicas para salvar uma livraria

Desde a crise do mercado editorial em 2018, o mercado de livros vem mudando radicalmente, porque as crises financeiras que a Livraria Cultura e a