5 estratégias para estimular o interesse de seus alunos pela leitura

Um dos grandes desafios, para quem é professor em colégios, é estimular os alunos a tomarem o gosto pela leitura. estimular o gosto pelos livros é um desafio maior hoje, do que no passado, de fato. Os alunos de hoje tem mais estímulos que os de outras épocas.

Há TV, canais streaming, videogames, redes sociais, além de todas as outras coisas que já existiam antes. Então, como incentivar e estimular alguém a ler?

A resposta para essa pergunta não é simples. Não basta falar de grandes enredos. Ler é, acima de tudo, aprender a decifrar um código verbal e estético específico. Tomar gosto por essa decifração é algo complicado. Mas logicamente, possível, afinal, há milhares de editoras de todos os portes, e cada uma delas, publicando milhares de autores.

Assim, partindo de minha experiência em escolas, e também consultando livros como os dos linguístas Roxane Rojo e Egon Rangel, elenco 5 dicas para estimular a leitura na escola.

 

1.     Faça leituras compartilhadas; peça interpretações sinceras

Leituras compartilhadas são essenciais para que os alunos vivenciem o ato da leitura, mas traçando paralelos com seus colegas.

Às vezes, alunos são desestimulados a ler, porque não entendem suas dificuldades, e nem sabem como resolver elas. Quando há uma leitura compartilhada, o aluno percebe que os problemas que ele tem, individualmente, são os mesmos de outros colegas.

A leitura compartilhada, por sua vez, não envolve apenas ler, mas ler e interpretar. Assim, fazer uma interpretação do texto é importante. Mas interpretar não é apenas falar bem.

Dar espaço para interpretações sinceras é essencial. O estudante deve ter liberdade para falar que não gostou de algo. Cabe ao professor entender os motivos sem julgar.

 

2.     Traga a literatura para a sociedade cotidiana

Se poetas periféricos e narrativas policiais são coisas comuns para a grande parte dos estudantes, um livro como Crime e Castigo por exemplo, não é.

Ou pelo menos, assim é o que pensam alguns alunos.

Tudo que os grandes livros falam existe, na realidade cotidiana. Por mais fantasioso (como uma poesia mitológica grega) ou geograficamente distante (um poema japonês) que seja, existe na realidade imediata.

Basta o professor saber ensinar o aluno a ler esses símbolos, com criticidade; ver o que há de comum, por exemplo, entre um baile funk e o baile de máscaras do conto A mascara vermelha da morte de Poe.

 

3.     Faça visitas guiadas a biblioteca da escola

“Visitas guiadas à biblioteca” significa: “ir a biblioteca e estimular a curiosidade e espontaneidade”. Deixar os alunos pegarem os livros que quiserem, folhearem a todos, perguntarem, pedirem sugestões…

 

4.     Faça saraus e passe audiolivros

Às vezes, ouvir um texto é muito mais estimulante do que, simplesmente ler. Explore essa possibilidade. Deixe os alunos lerem, e imprimirem a voz deles, ao que eles estão lendo.

 

5.     Crie um clube de leitura

Fazer os alunos trocarem leituras e impressões com colegas de diferentes idades estimula vínculos emocionais dos alunos com os livros.

Conteúdo relacionado:

Trabalhando com skate, sem ser skatista

Se você está acompanhando as Olimpíadas de Tóquio 2020 (que estão acontecendo em 2021), provavelmente sabe que o Brasil marcou história nessa edição, devido à

O que faz um diagramador?

Uma das profissões mais importantes do mercado editorial é a dessa pessoa, que faz o texto, coloca ele de um jeito únicos, organiza ideias, para