3 especializações pouco conhecidas da Fisioterapia

A Fisioterapia enquanto uma forma de tratamento para lesões decorrentes de traumas, todo mundo conhece. A Fisioterapia esportiva também é uma área muito divulgada (tanto, que os fisioterapeutas da Seleção Brasileira de Futebol são quase heróis, pra alguns). A Fisioterapia Geriátrica também é amplamente divulgada.

Ou seja, são áreas que todo fisioterapeuta estudou, em menor ou maior grau, durante a faculdade. E isso pode vir a ser um problema, porque, quando há muitas ofertas, diminui o número de demandas. Há mais fisioterapeutas do que pacientes.

Logo, se você é fisioterapeuta e quer se destacar e evoluir profissionalmente, talvez, o que você deva fazer é procurar uma outra especialização da Fisioterapia.

Há áreas da medicina onde a Fisioterapia é necessária, mas com poucos profissionais, por serem campos de estudo muito novos, ou muito específicos.

Conheça três deles, e comece hoje mesmo sua formação.

 

1.     Fisioterapia nas Disfunções Temporomandibulares (ATM)

Problemas musculares nas mandíbulas são comuns. Muito mais comuns do que se divulga, na verdade. Porque quem não é da área, simplesmente, não imagina que algo desse tipo possa acontecer.

Mas acontece. Seja por uma lesão decorrente de acidente ou fratura, seja por algum problema ortodôntico, disfunções nas Articulações Temporomandibulares (ATM), podem acontecer.

E, devem ser tratadas. Não é “só uma dor de dente”, mas algo que pode evoluir para um problema de saúde mais sério.

O tratamento acontece com exercícios fisioterapêuticos específicos, e exercícios fonoaudiológicos. Então, tanto dentistas, quanto fonoaudiólogos e fisioterapeutas podem vir a ser especializar em tratamentos para as ATM.

 

2.     Fisioterapia Neonatal

Do momento em que nascemos, até a terceira idade, podemos vir a precisar de um fisioterapeuta, pois ossos sistemas musculares estão sempre mudando.

A Fisioterapia Geriátrica é bem conhecida, e há muitas clínicas, em grandes cidades.

A Fisioterapia Neonatal, por sua vez, é pouco falada. Talvez seja um tabu, ou algo que assuste o senso-comum: bebês recém-nascidos podem precisar de auxilio médico altamente especializado. E isso inclui Fisioterapia.

Não são apenas crianças prematuras. Ocasionalmente será uma questão muito pontual, e facilmente contornável. Mesmo assim, não é um pediatra geral quem determinará o tratamento – e sim um Fisioterapeuta Neonatal.

Esse pode ser um pediatra, inclusive. Na enorme maioria dos casos, quanto mais cedo o problema for identificado, mais eficaz será o tratamento.

 

3.     Técnicas Fisioterápicas De Avaliação Dermatológica

Uma das áreas menos conhecidas da Fisioterapia é a Fisioterapia Dermatofuncional, uma especialização que visa à prevenção e a recuperação de doenças e síndromes do Sistema Tegumentar – mais conhecido como “A Pele”.

Alguns médicos costumam se referir à essa especialidade como Fisioterapia Estética, talvez, incutindo no termo algum preconceito. Porém, “Estética” vai muito além de tratamentos de beleza – embora esse nicho seja enorme.

Se você não se interessa por isso, pense na Fisioterapia Dermatofuncional pela seguinte ótica: é uma área que vai lidar com lesões de pele como cânceres, queimaduras, cicatrizes, e até problemas decorrentes de AVCs.

Ou seja, é uma área que demanda uma formação muito específica, mas com poucos profissionais capacitados.

 

Conteúdo relacionado: