Vamos conversar sobre como podemos te ajudar

Preencha o formulário e entraremos em contato o mais breve possível
Aguarde, enviando contato!
Logotipo Pensar Cursos Logotipo Pensar Cursos
Logotipo Pensar Cursos

Salários de servidores dos três Poderes podem ser reduzidos durante crise do coronavírus

Redução pode ser de até 20% nos salários de servidores durante a crise do coronavírus, diz Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados

caique Macedo caique Macedo |
Salários de servidores dos três Poderes podem ser reduzidos durante crise do coronavírus
Salários de servidores dos três Poderes podem ser reduzidos durante crise do coronavírus

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, sugeriu hoje (terça-feira, 24), durante uma entrevista à Rádio Bandeirantes, a redução de até 20% nos salários de servidores durante a crise do coronavírus. Segundo Maia, esta seria uma espécie de gesto simbólico mostrando que estão unidos no combate à pandemia do coronavírus.

O deputado afirmou que a medida iria excluir servidores que ganham menos e que estão diretamente envolvidos no combate à doença. Sobre o assunto, ele disse:

“Agora, os servidores públicos, seja aqueles concursados ou eleitos, todos têm uma estabilidade. Nesse momento, nada mais justo que a gente possa ir dialogando, sem parecer uma coisa oportunista”, disse. “Aqueles que estão trabalhando de forma remota, que podem dar uma colaboração, é importante”.

Ele defendeu ainda que o Legislativo, Executivo e Judiciário passem a avaliar uma alternativa nos próximos dias e tomem uma decisão sobre o assunto. De acordo com o presidente da Câmara, os salários pagos a servidores dos três Poderes são totalizam cerca de R$ 200 bilhões por ano.

               Estude gratuitamente nessa quarentena CLIQUE AQUI

“Têm salários mais baixos, têm salários mais altos, acima da média dos 10% que ganham mais no Brasil. Então eu acho que a gente consegue uma economia, se você olhar uns R$ 18 bilhões por mês, se você tirar 15% a 20%, você vai ter uma economia de três meses que ajuda”, ele disse. De acordo com os dados revelados pelo deputado, isso iria gerar uma economia mensal de até R$ 3,6 bilhões.

Maia ainda ressaltou que o volume de recursos necessários para o combate ao coronavírus é muito superior – em entrevista na segunda, disse que poderia chegar a R$ 400 bilhões. “Mas tem certas horas que não é só o valor, é o simbolismo dado daqueles que têm uma proteção maior e que estão colaborando com a sociedade brasileira.”

Coronavírus

Ministério da Saúde divulgou na tarde desta terça-feira, 24 de março, a informação de que o Brasil tem 2.201 casos confirmados de novo coronavírus. São, ao todo, 34 mortes, o que significa uma taxa de mortalidade de 2,1%.

Os principais dados divulgados pelo Ministério são:

° 46 mortes, eram 34 na segunda-feira
° 2.201 casos confirmados
° São Paulo registrou 810 casos e 40 mortes
° Rio de Janeiro tem 305 casos e 6 óbitos

Segundo os dados divulgados pela pasta, a quantidade de mortos por conta do novo coronavírus aumentou 35% em relação ao balanço de segunda-feira. O total de casos subiu 16%, com base nos dados registrados até 16 horas desta terça-feira.

O Ministério da Saúde confirmou que vai ampliar para 22,9 milhões o número de testes que serão distribuídos para diagnosticar a Covid-19.

“Possivelmente, (por causa da maior oferta de testes) o Brasil será o país com o maior número de casos”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, apontando que o aumento no diagnóstico deve fazer a taxa de letalidade ser mais próxima da real.

O ministério confirmou hoje que vai trabalhar com dois tipos diferentes de testes:

aqueles que detectam o vírus na amostra (RT-PCR); e
que verificam a resposta do organismo ao vírus (teste rápido de sorologia).
No atual estágio, os testes serão voltados para profissionais de saúde e de segurança, além da verificação dos casos graves e óbitos.

A previsão de elaboração de um novo protocolo para testar os casos mais leves em postos volantes já existe. O governo tem objetivo de utilizar os postos em cidades com mais de 500 mil habitantes, como estratégia para conter surtos.

Veja também: Como otimizar os estudos durante a quarentena? 

 

Fonte: Notícias Concursos